________

21 janeiro 2010

Cinco Fatos sobre o Orgasmo Feminino

A ciência não pára de investigar o orgasmo feminino, e sabem por quê? Além do motivo óbvio, de não ser certo, ser fugidio e quase uma vitória para, infelizmente, muitas de nós, ele é um mistério para os biólogos evolucionistas. Eles não entendem por que as mulheres deveriam ter orgasmos (será que eles querem que eu desenhe?), e por que tantas conseguem gozar com masturbação, mas não com penetração. A pesquisadora (Ô raça!) Elizabeth Loyd chega a dizer que são um acidente evolutivo: como os mamilos nos homens, eles existem simplesmente porque a natureza não consegue achar um motivo para se livrar deles. Umpf.

E o que, afinal, se sabe sobre o orgasmo feminino?


1. O Ponto G é real
Mas, aparentemente, não para todas.Em 2008, um time de pesquisadores italianos encontrou diferenças anatômicas entre mulheres que tinham orgasmos no ponto G e as que não conseguiam. Desde então, os pesquisadores têm ensinado as sortudas a tirar o máximo proveito de seus trunfos.

2. O cérebro é desligado
Olhem que louco: durante o orgasmo, várias partes do cérebro feminino são desativadas, incluindo aquelas que envolvem as emoções. O estudo não viu nada tão marcante no orgasmo masculino, o que pode se dever ao fato destes serem rápidos demais para serem detectados pela tomografia.

3. Muitas mulheres não têm orgasmo
Dã! Novidade. Mas o assustardor é que, nos Estados Unidos (fizeram a pesquisa por lá; espero que no Brasil o resultado seja mais animador), 43% das mulheres têm problemas em suas vidas sexuais.No fim, concluiu-se que disfunção sexual feminina é tão comum que até se debate se deveria ser catalogada como uma doença. Afinal, se metade da população tem, isso significa que existe uma disfunção na nossa sociedade? Tá, existem váriaaaas, só esperava que o orgasmo não estivesse entre elas.

Mas animem-se, meninas! Estão pesquisando remédios para isso! O Viagra teve resultados irregulares quando usado por mulheres, mas existe muito mais para ser explorado.

4. Os genes afetam a freqüência dos orgasmos
O que não chega a ser uma surpresa, já que eles afetam absolutamente tudo.Segundo o primeiro estudo genético sobre orgasmo feminino, até 45% da variação na habilidade feminina de ter orgasmos pode ser explicada pelos genes.

Muitas mulheres não conseguem ter orgasmo durante a penetração, e outras nem mesmo se masturbando. Isso pode ser explicado pela criação (para quem não leva Freud a sério), mas a genética também é um fator importante.

5. A tecnologia pode ajudar
Viram, menina? Não se matem! Há esperanças!
A solução mais radical é o Orgasmatron, um implante feito na coluna e que estimula a usuária quando ativado por controle remoto. Apesar da dificuldade de se encontrar voluntárias para testar o aparelho (imagino o motivo), ele já está em desenvolvimento.

Descobri isso tudo aqui.

Nota para os meninos: Leiam também! Muitas vezes a (minha) dificuldade de ter orgasmos vem da obrigação de tê-los. É muita pressão para algo que, a meu ver, é muito mais psicológico que físico nas mulheres. O que não significa que o sexo não seja uma delícia.

Meninas only

0 milhões de comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails